Maurícia

Geografia
País insular da África Austral. Inserido no arquipélago de Mascarenhas, a ilha Maurícia é uma república independente situada a 800 km a leste da ilha de Madagáscar, no oceano Índico, que inclui as ilhas de Rodrigues, Agalega e Cargados Carajos, numa área total de 2040 km2. A capital é Port Louis, com 583 400 habitantes (2004), destacando-se ainda as cidades de Beau Bassin-Rose Hill (110 700 hab.), Vascoas-Phoenix (104 400 hab.), Curepipe (79 900 hab.) e Quatre Bornes (76 500 hab.).
A Maurícia é uma ilha vulcânica, com duas áreas geográficas distintas: a do Norte, marcada por planícies; e a do Centro e Sul, onde predominam planaltos rodeados de crateras vulcânicas, cuja altitude não ultrapassa os 826 metros.
Clima
Tem um clima tropical de monção com grande influência oceânica.

Economia
De rara beleza natural, a ilha Maurícia tem um grande potencial turístico, que começou a ser aproveitado na década de 70, sendo hoje responsável pela maior fatia de rendimentos dentro do setor terciário, que ocupa 2/5 da população e constitui metade do total do PIB. A agricultura, por seu lado, representa 1/8 do PIB e ocupa 1/6 da mão de obra disponível, assentando, principalmente, na produção de cana-de-açúcar, chá, tabaco, batata e bananas. Quanto ao setor industrial, sobrevive com base em indústrias transformadoras de matérias-primas importadas, tais como têxteis, materiais eletrónicos e plásticos, que, posteriormente, são despachados para o mercado de exportação. Os principais parceiros comerciais da Maurícia são o Reino Unido, a França, os Estados Unidos da América e a África do Sul.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 2,1.

População
Tem uma população que, em 2006, era de 1 240 827 habitantes, a que correspondia uma densidade populacional de 603,24 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 15,43%o e 6,86%o. A esperança média de vida é de 72,63 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,779 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,770 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 1 407 000 habitantes. Os principais grupos étnicos são os mauritânios (68%), os crioulos (27%) e os chineses (3%). Os grupos religiosos mais representativos são os hindus (51%), os cristãos (28,56%) - (romano-católicos 26% e protestantes 2,3%) - e os muçulmanos (16%). A língua oficial é o inglês.

História
Antes de ser colonizada pelos Holandeses em 1598, a ilha Maurícia (em homenagem ao governante holandês Maurício de Nassau) já tinha sido visitada, quer pelos Árabes no século X quer pelos Portugueses no início do século XVI. Após os Holandeses a terem abandonado em 1710, a Maurícia foi ocupada pela Companhia das Índias Orientais Francesas de 1721 a 1767, e o seu nome alterado para ilha de França. Passou então a ser administrada por um ministro francês. Durante esse período, a colónia desenvolveu-se economicamente. Contudo, em 1810, na sequência da guerra entre a Inglaterra e a França, os Ingleses capturam a ilha, assegurando a sua possessão no Tratado de Paris, em 1814. A língua francesa e as suas leis foram mantidas pelos Ingleses, que apenas alteraram o nome, que voltou a ser Maurícia. A prosperidade na Maurícia prolongou-se até 1860, altura em que os preços do açúcar caíram abruptamente. Entre 1866 e 1869 dois factos deixaram a Maurícia completamente arrasada: em 1866, 67 e 68, uma epidemia de malária afastou os navios de Port Louis, isolando por completo a ilha; em 1869, a abertura do Canal de Suez fez desviar muitas das rotas que passavam pela Maurícia.
Durante a Primeira Guerra Mundial, a economia da Maurícia desenvolveu-se à custa do aumento dos preços do açúcar, situação que se modificou aquando da Grande Depressão, no início dos anos 30. Após a Segunda Guerra Mundial, que não melhorou em nada o quadro económico e social, foram feitas reformas políticas e administrativas que conduziram, em 1968, à independência do reino da Maurícia dentro da Commonwealth, conforme a Constituição aprovada nesse ano.
A passagem do ciclone Claudette em 1979 teve efeitos catastróficos que a queda dos preços do açúcar, no início dos anos 80, só veio agudizar. Estes acontecimentos fizeram com que o Governo da Maurícia iniciasse intensos programas de diversificação da agricultura, que foram complementados com o desenvolvimento da indústria transformadora e do setor financeiro, sobretudo o mercado da Bolsa de Valores. Em 1991, a Constituição é alterada, passando a definir a ilha Maurícia como uma república, alteração essa que entrou em vigor em 1992.
Como referenciar: Maurícia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 19:30:43]. Disponível na Internet: