Monchique

Aspetos Geográficos
O concelho de Monchique, do distrito de Faro, localiza-se na Região do Algarve (NUT II e III). É limitado a oeste pelo concelho de Aljezur, a sul pelos de Lagos e Portimão, a este pelo de Silves e a norte pelo de Odemira (distrito de Beja), ocupando uma superfície de 395,8 km2, distribuída por três freguesias: Alferce, Marmelete e Monchique.
Em 2005, o concelho de Monchique tinha 6560 habitantes. O natural ou habitante de Monchique denomina-se monchiquense.
O concelho apresenta um clima subtropical marítimo de montanha.
Como recurso hídrico importante, destaca-se a ribeira do Montinho.
O relevo é muito acidentado, cortado por vales e ravinas e é constituído essencialmente por xistos. É de realçar ainda o ponto mais alto do Algarve (902 metros), que se situa em Foia, na serra de Monchique.

História e Monumentos
As origens do concelho remontam à época de domínio romano, sendo já conhecido na época o poder curativo das águas de Monchique. A utilização terapêutica destas nascentes perdurou ao longo dos tempos, atraindo figuras ilustres como o rei D. João II. Monchique foi crescendo e a sua população aumentando durante todo o século XVI.
A par do proveito das águas do concelho, atividades, como a tecelagem em lã e linho, o fabrico de tecidos sorrobeco, soriano e estopas e trabalhos com a madeira de castanho, contribuíram para a prosperidade e desenvolvimento de Monchique até que D. Sebastião a elevou a vila em 1773.
Em finais do século XX, as termas de Monchique foram alvo de obras de restauro, tendo sido transformadas num SPA de tratamento termal.
A nível do património arquitetónico e monumental destacam-se:
- a Capela de São Sebastião, que guarda uma imagem de Nossa Senhora do Desterro, escultura do século XVII, proveniente do antigo convento franciscano;
- a Capela do Senhor dos Passos, que traduz a arquitetura ingénua da arte popular, coroada por duas torres sineiras. No interior, existe uma imagem de Cristo em tamanho natural;
- a Igreja da Misericórdia de Monchique, que alberga uma imagem de São Francisco, do século XVII;
- a Igreja Matriz de Monchique, edificada nos séculos XV e XVI, que foi alvo de reconstrução em consequência do terramoto de 1755. Possui o pórtico principal em estilo manuelino e, no seu interior, a capela-mor apresenta imagens de dois anjos, segurando a Lua e o Sol, e de dois atlantes, que suportam todo o conjunto. Faz também parte do seu espólio artístico uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, do século XVIII, atribuída ao escultor Machado de Castro.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Neste concelho realizam-se as festas em honra da Nossa Senhora da Encarnação, no dia 25 de março. Das feiras, têm especial importância a Feira de Enchidos Tradicionais da Serra de Monchique (primeiro trimestre do ano), a Mostra de Artesanato (primeiro fim de semana de setembro) e a Feira Anual (26 a 28 de outubro).
A nível de artesanato, destacam-se os trabalhos em cestaria, ferragens, trabalhos em lã, bancos e cadeiras de tesoura.

Economia
O setor secundário desempenha um importante papel na economia concelhia. Neste setor destacam-se as indústrias relacionadas com a criação de porcos, têxtil e outras manufaturas. A primeira constitui uma das mais importantes atividades da região, enquanto que as indústrias tradicionais foram perdendo importância.
Em Monchique a área destinada à agricultura ocupa apenas 8,3% da área total do concelho, sendo típicos os cultivos de cereais para grão, de batata, de citrinos, a horta familiar, os prados temporários, as culturas forrageiras e os prados e pastagens permanentes. No que diz respeito à pecuária, aves, coelhos e suínos destacam-se como as principais espécies criadas. Este concelho tem uma elevada densidade florestal, com uma área da ordem dos 6914 hectares, o que corresponde a 75% da superfície agrícola útil. Apesar dos incêndios frequentes, que têm levado à plantação de pinheiros e eucaliptos, ainda existem manchas de dimensão variável de carvalhos, sobreiros, castanheiros e medronheiros.
O setor terciário está intimamente relacionado com o turismo, nomeadamente com a prática de vela, windsurf, esqui aquático, parasailling, mergulho e pesca.
As Termas de Monchique são um cartão de visita importante na região, atraindo um grande número de visitantes, não só pelos tratamentos de bem-estar (massagens, banhos, entre outros) como também pelos efeitos terapêuticos: tratamento de afeções crónicas das vias respiratórias e reumatismo.
Como referenciar: Monchique in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 10:58:29]. Disponível na Internet: