Ringo Starr

Baterista e cantor inglês, nasceu a 7 de julho de 1940, em Liverpool, batizado com o nome de Richard Starkey. Filho de um estivador e de uma empregada de padaria, foi uma criança muito débil em termos de saúde que passou grandes temporadas internada em hospitais. Assim, quando chegou aos 15 anos, mal sabia ler e escrever.
Em 1957, formou uma banda chamada The Eddie Clayton Skiffle Group, mas, em 1959, passou para os Raving Texans, sempre como baterista. Foi por esta altura que passou a ser conhecido por Ringo devido aos anéis (ring em inglês) que usava.
Ringo travou conhecimento com os elementos dos Beatles em 1960, em Hamburgo, na Alemanha, onde tinha ido atuar com outro grupo, os Rory Storm and The Hurricanes. Mais tarde, a 18 de agosto de 1962, Ringo Starr passou a fazer parte dos Beatles, onde substituiu o baterista Pete Best. Ringo era já definitivamente parte integrante do quarteto de Liverpool e participou, em setembro, nas gravações do primeiro single dos Beatles "Love Me Do", que fez um sucesso estrondoso.
Os problemas de saúde de Ringo, no entanto, continuaram a prejudicar o seu trabalho e em 1964 perdeu grande parte da tournée que levou os Beatles à Escandinávia, Holanda, Extremo Oriente e Austrália. Mas, ainda nesse ano, foi Ringo quem deu origem o nome do filme musical dos Beatles A Hard Day's Night ao utilizar essa expressão após uma noite de intenso trabalho. O filme, inicialmente, estava para se chamar Beatlemania.
Esteve com os Beatles até o grupo acabar, em 1970, apesar de ser normalmente considerado como o quarto elemento, dado a notoriedade evidente de John Lennon, Paul McCartney e, até, de George Harrison.
Após a dissolução do grupo, iniciou uma carreira a solo, que se repartiu por várias vertentes artísticas. Começou pela música ao lançar, ainda em 1970, dois álbuns: Sentimental Journey, com versões de canções clássicas anteriores ao rock, e Beaucoups of Blues, uma coletânea de temas country.
Em 1971, lançou "It Don't Come Easy" e, em 1972, "Back off Boogaloo", dois singles que foram um sucesso de vendas.
Em 1973, com a colaboração dos outros três antigos membros dos Beatles, gravou o álbum Ringo, que deu origem a mais dois singles de sucesso, "Photograph" e "You're Sixteen", ambos número um nos tops.
No ano seguinte, voltou a gravar um álbum que vendeu bem, chamado Good Night Vienna, mas a partir daí a sua carreira musical entrou em declínio.
Em 1989, viveu um renascimento com a tournée "All-Starr Band", para três anos depois regressar aos estúdios para gravar o CD Time Takes Time.
Em 1996, Ringo, em parceria com George Harrison e Paul McCartney, editou a retrospetiva The Beatles Anthology, composta por três discos de material inédito da sua antiga banda e um documentário para televisão.
Depois da edição de discos ao vivo, surgiu o álbum Vertical Man (1998). Mais uma vez, Ringo socorreu-se da ajuda dos amigos Joe Walsh e Tom Petty. O disco não teve expressão comercial. No ano seguinte, para além da participação na série VH1 Storytellers, registada em disco, Ringo editou I Wanna Be Santa Claus, um registo especialmente dedicado à quadra natalícia.
Os primeiros anos do século XXI, marcaram algumas edições com expressão menor, destacando-se Tour 2003, um registo ao vivo.
O nome Ringo Starr é uma referência incontornável pela sua ligação aos míticos Beatles. A sua carreira a solo não tem uma expressão muito relevante.
Como referenciar: Ringo Starr in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-05 11:51:16]. Disponível na Internet: