Telégrafo em Portugal

Em meados do século XIX, vão aparecer, por todo o lado, postes de telégrafo elétrico, que seguem de perto o percurso do caminho de ferro. Em conjunto, estes dois novos elementos que marcam a paisagem estão ao serviço de um novo ritmo de vida próprio da burguesia capitalista.

Em Portugal, a introdução da rede ferroviária foi muito mais lenta do que a do telégrafo. Em 1856 era inaugurada a primeira rede oficial de telégrafo, que fazia a ligação entre o Terreiro do Paço e as Cortes e entre o Palácio das Necessidades e Sintra.
A 20 de julho do ano seguinte (1857), este serviço de telégrafo foi aberto ao público. Os utentes podiam utilizar este instrumento para comunicar, por exemplo, com o país vizinho.

No início dos anos 60 do século XIX as linhas telegráficas no nosso país atingiam cerca de 2000 km e em 1900 a extensão ascendera a 8000 km. De 1911 a 1926 a área coberta era de 9000 km.

Ao mesmo tempo, cabos submarinos ligavam Portugal ao resto do mundo. Em 1870 foi inaugurada a ligação entre a Inglaterra e Gibraltar e, em 1871, foi iniciada a operação de conexão do fio à Madeira, Cabo Verde e Pernambuco (Brasil).

Em 1878 foi feita a ligação de Vigo a Caminha, e em 1893, de Carcavelos a Ponta Delgada, à Horta e ao restante arquipélago dos Açores. Em 1878 todo o território português estava coberto por uma rede telegráfica.
Como referenciar: Telégrafo em Portugal in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-19 20:03:42]. Disponível na Internet: