vir

vir
ˈvir
verbo transitivo e intransitivo
1.
encaminhar-se (alguém) para o lugar onde está a pessoa que fala
2.
chegar (a um dado local)
3.
regressar; voltar
verbo transitivo
1.
acompanhar (alguém até um certo local); seguir
2.
ir para junto de (alguém)
3.
deslocar-se a partir de (um local) e/ou utilizando (um meio de transporte)
4.
chegar (alguma coisa até um certo limite)
5.
ocorrer (à memória, ao pensamento)
6.
provir (de); ter origem (em)
7.
mostrar-se; apresentar-se (de determinada forma)
8.
expor; apresentar (desculpas, argumentos, etc.)
verbo intransitivo
1.
chegar (certo tempo ou momento)
2.
suceder; acontecer
3.
aparecer; surgir; irromper
4.
medrar; crescer
5.
nascer
vir à baila
ser lembrado na conversa
vir à luz
nascer, publicar-se
vir à mão
passar ao domínio, chegar ao conhecimento
vir a ser
tornar-se
vir a talhe de foice
vir a propósito
vir a tempo
chegar no momento oportuno
vir ao mundo
nascer
vir nas horas de estalar
chegar mesmo sobre a hora, a toda a pressa, vir a toda a pressa
vir sobre
marchar contra
Como usar o verbo
vir a
chegar
Ele veio a Lisboa ver os primos.
vir com
acompanhar
Ela hoje veio com o irmão.
vir de
encaminhar-se
Ela veio de barco porque era mais fácil.
vir para
dirigir-se
Venham para a mesa!
vir por
atravessar
O avião veio por Faro.
Do latim venīre, «idem»
vir
forma do verbo ver
1.ª pessoa do singular do futuro do conjuntivo
eu vir
3.ª pessoa do singular do futuro do conjuntivo
ele, ela, você vir
Como referenciar: vir in Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-01 12:12:06]. Disponível na Internet:

PROVÉRBIOS

  • A boa filha duas vezes vem a casa.
  • A doença vem a cavalo e vai a pé.
  • A quem bem se estreia, bem lhe venha.
  • A quem sabe esperar o ensejo, tudo vem a tempo e a seu desejo.
  • A razão e a verdade fogem quando veem disputas.
  • A seu tempo vêm as uvas e as maçãs maduras.
  • A três de abril o cuco há de vir, e se não vier até oito está preso ou morto.
  • A verdade, como o azeite, vem sempre ao de cima.
  • Aceita o bem conforme vem.
  • Água vai, água venha; não se vai ao mato, vai-se à lenha.
  • Altas ou baixas, em abril vêm as Páscoas.
  • Ande o frio por onde andar, no Natal cá vem parar.
  • Antes que o inverno venha, procura a lenha.
  • As pulgas vêm com as favas e vão com as uvas.
  • Atrás de mentira, mentira vem.
  • Atrás de mim virá, quem de mim bom fará.
  • Atrás de mim virá, quem me vingará.
  • Atrás de tempo, tempo vem.
  • Atrás do isco vem o anzol.
  • Bens de sacristão, cantando vêm, cantando vão.
  • Boa é a neve que a seu tempo vem.
  • Cerra a tua porta, dá-me a chave e quem vier que brade.
  • Cidade, por necessidade; vila, por ir e vir; aldeia, para assistir.
  • Com o tempo descobre-se a verdade; tal como o azeite vem sempre à tona.
  • Console-se quem penas tem, que atrás do tempo, tempo vem.
  • Da abundância vem o tédio.
  • De onde não se espera, é que vem a ingratidão.
  • Depois da tempestade, vem a bonança.
  • Depois de mim virá quem de mim bom fará.
  • Depois de mim virá quem te ensinará.
  • Deus criou a floresta, depois veio o Homem e atrás ficou o deserto.
  • Dia em que me não enfeitei, veio a casa quem eu não cuidei.
  • Dias melhores hão de vir.
  • Dinheiro assim como veio assim vai.
  • Do pouco saber vem o muito ousar.
  • Do poupar vem o ter.
  • Dos vinte aos trinta, quem eu quiser; dos trinta aos quarenta quem me quiser; dos quarenta em diante, venha quem vier.
  • Em abril, o cuco há de vir.
  • Em abril vai a velha onde quer ir, mas a sua casa vem dormir.
  • Enquanto a pedra vai e vem, Deus dirá do seu bem.
  • Enquanto o pau vai e vem, folgam as costas.
  • Enquanto um vai e outro vem, Deus dá do seu bem.
  • Enquanto um vai e outro vem, não está o caminho sem ninguém.
  • Entre março e abril o cuco há de vir.
  • Fui ao meu vizinho, envergonhei-me, vim para minha casa, remediei-me.
  • Há males que vêm por bem.
  • Hóspede tardio, não vem vazio.
  • Lá vem agosto com seus santos ao pescoço.
  • Lá vem fevereiro, que leva a ovelha e o carneiro.
  • Logo que o outono venha, procura lenha.
  • Luar de janeiro faz sair a galinha do poleiro, lá vem fevereiro que leva a galinha e o carneiro.
  • Luar de janeiro alumia todo o ribeiro, mas lá vem o de agosto que lhe dá no rosto.
  • Mente bem quem de longe vem.
  • Não desejes mal a ninguém, que o teu mal pelo caminho vem.
  • Nas unhas e nos pés semelharás de onde vens.
  • Nem tudo o que vem à rede é peixe.
  • No dia da Senhora das Candeias, quando está a rir, é inverno para vir, quando está a chorar o inverno está a passar.
  • O azeite e a verdade vêm sempre ao de cima.
  • O lume perto da estopa, vem o diabo e assopra.
  • O mal e o bem à cara vem.
  • O que à praça vai e vem, duas casas mantém.
  • O que meu tiver de ser, à mão me vem ter.
  • O que tem de ser às nossas mãos vem ter.
  • O que vem à rede é peixe.
  • Os homens são ramos de sonho; vai-se um, vem outro.
  • Para que a amizade se mantenha é preciso que vá e venha.
  • Pelo fio tirarás o novelo e pelo passado o que está para vir.
  • Quando o cavalo está morto, a aveia vem tarde de mais.
  • Quando o pardal tem fome, vem abaixo e come.
  • Quando vem a glória, vai-se a memória.
  • Quase todos os nossos pesares vêm dos nossos pensares.
  • Quem à taverna vai e vem, duas casas mantém.
  • Quem ao mais alto sobe, ao mais baixo vem parar.
  • Quem bem se esteia, bem lhe venha.
  • Quem cabritos vende e cabras não tem, de algum lado lhe vem.
  • Quem come a correr, do estômago vem a sofrer.
  • Quem dá o que tem, a pedir vem.
  • Quem gasta mais do que tem, a pedir vem.
  • Quem língua tem, a Roma vai e de Roma vem.
  • Quem me vir e ouvir, guarde pão para maio e lenha para abril.
  • Quem mente não vem de boa gente.
  • Quem primeiro vem, primeiro mói.
  • Quem promete à quarta e vem à quinta, não faz falta que se sinta.
  • Quem quer mal ao vizinho, o seu vem pelo caminho.
  • Quem tarde vier, come do que trouxer.
  • Quem tem língua a Roma vai e vem.
  • Quer no começo, quer no fundo, em fevereiro vem o entrudo.
  • Relâmpagos ao norte, vento forte; se do sul vem, chuva também.
  • Sabendo de quem vens, dir-te-ei o bem ou mal que tens.
  • Sarampo, sarampelo, sete vezes vem ao pelo.
  • Se a Senhora da Graça está a chorar, está o inverno a acabar; se está a rir, está o inverno para vir.
  • Se bêbado te vires sentir, foge à companhia e vai dormir.
  • Se vem chuva e depois vento, põe-te em guarda e toma tento.
  • Sofra quem penas tem, que atrás do tempo, tempo vem.
  • Vai e vem quem de seu tem; quem não tem pode ir, mas não vem.
  • Vem a ventura a quem a procura.
  • Vêm as glórias, vão-se as memórias.
  • Venha a minha nora, mas venha cada dia e não cada hora.
  • Cansada é a ceia que vem de casa alheia.
VER +

CITAÇÕES

  • "Todo o impulso que nos apressamos em estrangular vem açoitar-se-nos no espírito e envenena-nos."Oscar Wilde