Futebol Clube do Porto

O Futebol Clube do Porto foi fundado por Nicolau de Almeida a 28 de setembro de 1893, no Porto, com o único objetivo da prática de futebol. Em 1906, após um breve interregno de um ano, o dirigente José Monteiro da Costa deu um novo e definitivo impulso ao FCP, passo importante para o enraizamento do Clube. Para além do reforço no âmbito do futebol, começaram a praticar-se no clube modalidades como o ténis, o boxe, o atletismo, o halterofilismo e a natação.

José Monteiro da Costa foi eleito presidente da direção do FCP a 9 de fevereiro de 1907, na primeira Assembleia Geral do Clube. Na altura, a sede encontrava-se na única instalação própria do FCP que era o Campo da Rainha, na Rua da Rainha (atualmente Antero de Quental) nº 371.
Em 1910, em regulamento interno com carácter estatutário, o Futebol Clube do Porto definiu por completo o seu emblema: a bola de futebol azul com linhas brancas e a sigla FCP com a figura do Dragão - um símbolo de misticismo e de poder. Nesse ano iniciou-se, também, a secção de ginástica e o ténis de mesa.

Guilherme do Carmo Pacheco foi o presidente do biénio 1911/12, vindo a ser nomeado, em 1913, o primeiro sócio honorário do FCP. Foi nesse ano que o Futebol Clube do Porto ganhou a sua primeira taça: "Taça União do Norte". À data o clube era presidido por Joaquim Pereira da Silva, que ordenou a transferência da sede da Rua da Rainha para o Campo da Constituição.

1916 foi o ano da grande vitória do FCP na "Taça Monteiro da Costa", considerada o Campeonato do Norte de Portugal. Esta prova começou na época de 1910/11 e terminou com a última prova em 1915/16, tendo o clube obtido quatro vitórias em cinco possíveis. Era então presidente António Borges. De 1917 a 1920 passou pela direção do clube Henrique Mesquita.

O primeiro campeonato de polo aquático foi ganho em 1921, durante a presidência de António Cardoso Pinto de Faria. Mas foi Eurico de Brites, presidente do clube em 1922/23, que testemunhou a primeira conquista do Campeonato de Portugal de Futebol dessa mesma época. Em 1926 iniciou-se a modalidade do hóquei em campo; era presidente Afonso da Silva Brandão Freire Themudo.

O Futebol Clube do Porto foi declarado Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 13 de março de 1928, para o qual muito contribuiu todo o esforço empreendido pelo seu presidente na altura, Urgel Horta. Com a presidência de Sebastião Ferreira Mendes em 1932/34 iniciou-se a prática de andebol no clube.

Em 1932/33 o FCP venceu o Campeonato de Portugal em Futebol e a sede do clube foi transferida oficialmente para o n.o 351 da Praça do Município (hoje Praça General Humberto Delgado).

O presidente do clube em 1934/36, Eduardo Dumont Villares, viu a sua equipa de futebol vencer o Campeonato da 1.a Liga (Época 1934/35) em Futebol Sénior e, por duas vezes, o Campeonato de Portugal em Futebol (Épocas 1934/35 e 1936/37) - prova antecessora da Taça de Portugal.

Em 1938 o Dr. Ângelo César assume a presidência e o FCP vence o primeiro Campeonato Nacional da 1.a Divisão em Futebol (Época 1938/39). No ano seguinte (1939/40), com o Dr. Augusto Pires de Lima na presidência do clube, o FCP sagra-se novamente Campeão Nacional em Futebol. Em 1943 é fundada a secção de voleibol com o Dr. Cesário Bonito, como presidente.

Já em 1952, e novamente com Urgel Horta a presidir o clube, é inaugurado o Estádio das Antas. Em 1955, e também sob o signo de um dirigente do passado que voltava à presidência - Cesário Bonito - inicia-se a modalidade de hóquei em patins.

O FCP acaba por ganhar o campeonato do Nacional de Futebol (Época 1955/56), vence a Taça de Portugal em Futebol (Época 1955/56) e disputa contra o Atlético de Bilbau o seu primeiro jogo das competições europeias. Na Época 1957/58 o FCP vence novamente a Taça de Portugal em Futebol e a 3 de agosto desse mesmo ano é inaugurado o primeiro relvado para treinos. Em 1959/60 preside ao clube Luís Ferreira Alves, altura em que foi criada a secção de desportos motorizados.

De 1961 a 1964 José Maria do Nascimento Cordeiro foi o presidente do clube e foi ele quem inaugurou a iluminação artificial do Estádio das Antas, concretamente no ano de 1962. Afonso Pinto de Magalhães, presidente de 1967/71, fundou logo no primeiro ano do seu mandato a secção de xadrez.

No ano de 1968 o FCP venceu a Taça de Portugal em Futebol, pela nona vez o Campeonato Nacional de Andebol de Sete e inaugura as piscinas olímpicas a 18 de agosto desse mesmo ano. Em 1972 sobe à presidência Américo de Sá que se manteve por 9 anos, até 1981. Durante o seu "reinado" foi inaugurado, em 1973, o Pavilhão Gimnodesportivo do FCP e no último ano, em 1981, foi inaugurada a sede do clube - o Estádio das Antas.

Em 1975, o FCP vence pela 25.ª vez o Campeonato de Andebol de 11 (Sénior), e passados dois anos soma mais um título de vencedor da Taça de Portugal em Futebol. Na Época seguinte, 1977/78 é Campeão Nacional de Futebol e triunfa também no Campeonato de Hóquei em Campo, pela oitava vez.

Em 1978/79, arrecadou novamente o cetro de Campeão Nacional de Futebol. No ano de 1980 vence, pela quarta vez, a Taça de Portugal em Andebol de Sete, e em 1981 vence a Supertaça "Cândido de Oliveira" em Futebol e a Taça de Portugal de Hóquei em Campo pela segunda vez.

Em 1982, Jorge Nuno Pinto da Costa assume a presidência do Futebol Clube do Porto e sai a primeira edição da revista oficial do clube: "Dragões". Neste ano, começam as épocas de ouro e consagração do FCP. Venceu a Taça dos Vencedores das Taças em Hóquei em Patins, a primeira Taça europeia conquistada pelo clube. Em 1983 vence novamente a Taça dos Vencedores das Taças em Hóquei em Patins, a Supertaça "Cândido de Oliveira" e o Campeonato Nacional de Basquetebol. Nesse mesmo ano o avançado do FCP, Fernando Gomes, sagra-se o melhor goleador Nacional e Europeu com 36 golos.

A Época de 1983/84 ficou marcada, no âmbito nacional, com a vitória na Taça de Portugal em Futebol e na Supertaça "Cândido de Oliveira" e, no âmbito internacional, com a chegada a uma final europeia na prova da Taça das Taças, em que perdeu o jogo para a Juventus de Itália.

Na época seguinte (1984/85) arrecada mais um cetro de Campeão Nacional de Futebol. Fernando Gomes sagra-se Bota D' Ouro pela segunda vez, com 32 golos concretizados. Em 1986 é novamente Campeão Nacional de Futebol, vence a Supertaça e é campeão Europeu de Hóquei em Patins.

A 27 de maio de 1987 o FCP atingiu o seu apogeu ao sagrar-se Campeão Europeu de Futebol, vencendo na final, em Viena de Áustria, o Bayern de Munique por 2-1. Depois de vencer a Taça dos campeões Europeus, conseguiu ainda triunfar na Taça Intercontinental em Tóquio, vencendo na final o Peñarol de Montevideu por 2-1. A 13 dezembro de 1987 o FCP podia ostentar o título máximo: Campeão Mundial de Clubes de Futebol.

No hóquei em patins venceu a Supertaça Europeia e no atletismo obteve alguns êxitos com excelentes prestações de atletas como Aurora Cunha (no Campeonato do Mundo de Estrada) e Fernanda Ribeiro (nos 3000 metros do Campeonato da Europa de Juniores).

O FCP passou desde então por um período de ótimos desempenhos que o levou, até ao final do século XX, a ganhar mais nove títulos de Campeão Nacional de Futebol da primeira divisão (cinco consecutivos), quatro vitórias na Taça de Portugal, seis vitórias na Supertaça Nacional "Cândido de Oliveira" e muitos outros êxitos nas diferentes modalidades como hóquei em patins, basquetebol, andebol, atletismo e natação.

Em 1997, o departamento de futebol passa a ser gerido e administrado pelo Conselho diretivo da SAD (Sociedade Anónima Desportiva) do FCP, continuando a ser presidente Pinto da Costa.

Os dois clubes pioneiros em Portugal na criação das SADs para a gestão do seu futebol foram o Futebol Clube do Porto e o Sporting Clube de Portugal, vendo em 1998 as ações do seus clubes cotadas no segundo mercado da Bolsa de Valores.

Em 1998/99, o FCP conquista pela quinta vez consecutiva o Campeonato Nacional de Futebol, já após ter vencido o tri-campeonato. O clube regista assim um feito inédito, reforçado por um rol de títulos conquistados em modalidades de alta competição como andebol, basquetebol, hóquei em patins e natação.

Na época 2002/2003, vence o Campeonato Nacional (Superliga), a Taça UEFA (ao derrotar o Celtic de Glasgow por 3-2, em Sevilha) e a Taça de Portugal (vencendo o União de Leiria). Com isso, conseguiu dois feitos inéditos no futebol português: tornou-se o primeiro clube a conquistar a Taça UEFA e a vencer as três principais competições num mesmo ano.

No dia 16 de novembro de 2003, o Futebol Clube do Porto inaugurou o seu novo estádio, o Estádio do Dragão, futuro palco da inauguração do Euro 2004. No jogo que se seguiu à festa de inauguração o FC Porto venceu o Barcelona por 2-0.

A 26 de maio de 2004 sagrou-se campeão da Europa derrotando o Mónaco FC, em Gelsenkirchen, por 3-0. Venceu a Supertaça no dia 20 de agosto, no Estádio Municipal de Coimbra, derrotando o Benfica por 1-0. No dia 12 de dezembro de 2004, o FC Porto recebeu, pela segunda vez, a Taça Intercontinental, ao vencer a equipa Once Caldas, da Colômbia, por 8-7, num jogo que ficou decidido em penalties após prolongamento.

Em 2006, conquistou a 5.ª "dobradinha" ao juntar a 13.ª vitória na Taça de Portugal ao seu 21.º título no principal escalão do futebol português. Em 2007, num dos mais disputados campeonatos de sempre, o FC Porto conquista o 22.º título nacional.
Como referenciar: Futebol Clube do Porto in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-17 09:43:45]. Disponível na Internet: