saco

sa.co
ˈsaku
nome masculino
1.
espécie de bolsa de pano, couro, plástico ou outro material, aberto em cima, geralmente com asas para facilitar o transporte
2.
aquilo que um saco pode conter
3.
fole; bolsa
4.
mala pequena; maleta
5.
cavidade
6.
antigo hábito fúnebre ou de penitência
7.
rede de pesca de forma cónica, nos aparelhos de arrastar, onde se recolhe a pescaria
8.
parte alargada da chaminé sobre a lareira
9.
popular pessoa gorda e desajeitada
10.
Brasil vulgarismo testículos
11.
Brasil coloquial aborrecimento; maçada; chatice
12.
Brasil coloquial paciência
FISIOLOGIA saco amniótico
bolsa membranosa que contém o líquido que envolve o feto e dentro da qual este se desenvolve
saco azul
1.
conjunto de dinheiros ilegais que não são declarados para fins fiscais e cuja existência é conhecida apenas por um número restrito de pessoas
2.
antiquado valores originários de receitas eventuais destinados a cobrir despesas não previstas, em alguns serviços públicos
coloquial saco de batatas
1.
pessoa vestida com roupas largas
2.
pessoa gorda
BOTÂNICA saco embrionário
célula existente no óvulo das plantas, homóloga do macrósporo, que, por germinação, origina um tecido no qual se encontra o gâmeta feminino
BOTÂNICA saco polínico
parte essencial da antera onde o pólen tem a sua origem
ZOOLOGIA saco vocal
cada um dos divertículos da laringe de alguns animais, que servem para dar ressonância aos sons emitidos, dilatações elásticas ligadas à comissura bucal de alguns batráquios, que atuam no coaxar
despejar o saco
dizer tudo quanto se sabe, desabafar
encher o saco
1.
governar-se
2.
fazer perder a paciência
meter a viola no saco
calar-se
meter tudo no mesmo saco
considerar de maneira igual coisas ou pessoas que são diferentes
não cair em saco roto
não ficar sem produzir efeito
Brasil popular puxar o saco
bajular alguém
Do grego sákkos, «idem», pelo latim saccu-, «idem»
saco
forma do verbo sacar
1.ª pessoa do singular do presente do indicativo
eu saco
Como referenciar: Porto Editora – saco no Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-23 16:40:30]. Disponível em

PROVÉRBIOS

  • A cobiça rompe o saco.
  • Cada dia três e quatro, breve chegarás ao fundo do saco.
  • De bago em bago, enche a velha o saco.
  • Dois proveitos não cabem no mesmo saco.
  • Donas em sobrado, agulhas em saco e cágados em charco não podem estar que não deitem a cabeça de fora.
  • Em maio a quem não tem basta-lhe o saco.
  • Fazer bem ao velhaco é lançar água dentro do saco.
  • Hoje um, amanhã dois, ao outro dia três ou quatro, depressa enche o saco.
  • Honra e proveito não cabem em saco estreito.
  • Não sai farinha branca de um saco de carvão.
  • Os invejosos têm um no papo e outro no saco e choram pelo que está no prato.
  • Quem ganha três e gasta quatro escusa bolsa e saco.
  • Saco de carvoeiro, mau de fora, pior de dentro.
  • Se cada dia tirares três e quatro, breve chegas ao fundo do saco.
VER +